Passos para conseguir um crédito habitação mais barato

Voltar á listagem

Os spreads bancários, no que ao crédito habitação diz respeito, encontram-se em queda livre. No entanto, ainda há quem não consegue as melhores condições no seu crédito habitação dado não saber quais as condições que os bancos privilegiam para tal.

Passos para conseguir um crédito habitação mais barato

Neste artigo, o plataforma de comparação ComparaJá.pt elenca alguns fatores a que todos devem olhar.

1)      O percurso de crédito não é esquecido

Cada vez que é feito um pedido de financiamento imobiliário junto a um banco, este vai consultar todo o historial do cliente. Isto serve para aferir se o potencial cliente tem prestações em atraso, incumprimentos ou outras questões que possam demonstrar um perfil menos cumpridor. E os bancos abstêm-se de emprestar a quem teve um percurso negativo.

Os bancos têm acesso às informações que constam da Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) do Banco de Portugal, onde está todo este historial. Quem entra em incuprimento, normalmente fica depois na Lista Negra do Banco de Portugal.

Em suma, quem tem créditos e responsabilidades a decorrer não deve descurar os pagamentos. Isso pode repercurtir-se no futuro, nomeadamente na capacidade de contrair um novo empréstimo.

2)      Se não tiver rendimentos suficientes, pode arranjar um fiador

Normalmente a banca analisa o risco potencial de um cliente e, para isso, tem por base os seus rendimentos (e a sua evolução). Isto pode ter um impacto negativo, uma vez que quem não tem um perfil apelativo para a banca pode sofrer com o seu crédito a ser recusado ou então ter taxas de juro mais elevadas (dado o risco ser maior).

Mas isto é contornável: se apresentar um fiador com um rendimento estável e consideravelmente elevado, é mais provável conseguir-se acesso ao crédito em condições favoráveis. Isto porque, caso o titular falhe com pagamentos, o fiador compromete-se a garantir o que está em incumprimento. Ora, isto descansa o banco, uma vez que baixa o risco da operação.

3)      Garanta uma boa taxa de esforço

Por taxa de esforço entende-se o rácio entre as responsabilidades de crédito em pagamento em função dos rendimentos auferidos. Como se calcula? Imagine-se uma família que aufere, no seu agregado familiar, 2.000 Euros e que paga, todos os meses, 600 Euros em créditos. Tem uma taxa de esforço de 30%.

As melhores práticas aconselham que esta taxa não ultrapasse os 33%. Mais que isso pode significar um equilíbrio arriscado que qualquer corte no rendimento pode atirar para o incumprimento. E isso, como vemos acima, pode ter consequências duradouras na vida financeira dos indíviduos e famílias. Portanto, uma taxa de esforço saudável pode levar a que os bancos tenham ainda mais tendência a emprestar em condições melhores para o cliente.

4)      Garantias podem baixar o custo do crédito

O facto de apresentar garantias como a própria casa que vai comprar (dando-a como colateral), um automóvel ou outro tipo de ativo com valor, pode ajudar a diminuir o custo do empréstimo. Isto porque o banco, do outro lado, fica com um ativo que pode ir buscar em caso de incumprimento, o que diminui o risco de ficar de “mãos a abanar” no caso do cliente incumprir com as obrigações contratadas.

No fundo funciona um pouco como o fiador acima indicado, mas com um ativo a funcionar como garantia.

5)      Relação com o banco permite aceder a bonificações

O facto de se possuir uma boa relação com o banco permite ao cliente ter acesso a reduções no spread. O que se quer dizer com relação com o banco? Normalmente, quando um cliente contrata, junto de uma instituição, um cartão de crédito, produtos de poupança, créditos pessoais ou outros, pode aceder a uma redução do spread.

Resumindo, há uma série de fatores que ajudam a reduzir os custos associados à contratação de um crédito habitação. No entanto, esta opção não se cinge apenas a quem vai contrair um novo crédito. Quem já tem um a decorrer também pode renegociar o spread. E, no limite, pode transferir o empréstimo o que significa, em muitos casos, poupanças de milhares de euros.

 

Partilhe esta notícia:

Partilhe por email

  • Algarve Cluster Multiusos vai ser mesmo uma realidade

    Algarve Cluster Multiusos vai ser mesmo uma realidade

    Depois de um volte-face inesperado que atrasou em vários anos o processo, o Algarve Cluster Multiusos está de regresso ao bom caminho e já teve luz verde do governo português para avançar. O Núcleo de Desenvolvimento Económico de interesse regional vai ocupar perto de 60 hectares junto ao nó de ligação da Via...

    Continuar a ler
  • Aumenta emprego no Imobiliário e no Turismo

    Aumenta emprego no Imobiliário e no Turismo

    Os setores do imobiliário e do turismo têm vindo a registar um aumento significativo do emprego e das ofertas de trabalho. Só entre julho e agosto os centros de emprego nacionais registaram um aumento de perto de 1.200 ofertas de emprego do setor imobiliário, nomeadamente para sonsultores, engenheiros civis,...

    Continuar a ler
  • Algarve cresce 20% nas ligações aéreas com a Alemanha no verão 2017

    Algarve cresce 20% nas ligações aéreas com a Alemanha no verão 2017

    O Algarve vai ter um crescimento na ordem dos 20% no número de voos de e para a Alemanha durante o próximo verão de 2017, anunciou hoje a Associação de Turismo do Algarve (ATA). De abril a outubro do próximo ano, a cidade de Faro vai estar diretamente ligado a 13 cidades alemãs, estando prevista a realização...

    Continuar a ler